sábado, 18 de outubro de 2014


Um dos maiores pesadelos que um universitário, mestrando, doutorando ou escritor pode enfrentar é perder sua obra que estava "muito bem guardada" no seu computador. Alguns problemas nem mesmo alguém com conhecimento e muito motivado consegue solucionar.

É fato que cada vez mais necessitamos de conhecimento em informática e seus mecanismos de segurança. Um deslize bobo como plugar o seu pendrive em um local público  para fazer uma impressão na xerox da faculdade, por exemplo  pode trazer uma praga consigo e detonar o seu pendrive e/ou computador.

Perder o seu trabalho pode ser equivalente a perder um membro da família e infelizmente esse tipo de coisa não é tão rara assim. Pensando nisso resolvi dar uma sugestão para quem deseja manter seus arquivos sempre a salvo e sem complicações.

Computação em Nuvem


Use e abuse dos recursos de armazenamento de arquivos em nuvem, cada vez mais comuns na internet. Continue lendo o artigo para perceber como a tecnologia é uma grande aliada na segurança de sua obra em desenvolvimento.

De maneira simples o termo Computação em Nuvem, ou Cloud Computing, quer dizer que dados diversos como texto, imagens e vídeos, são mantidos em servidores, a partir dos quais podemos os acessar pela internet. Os arquivos não mais precisam ser salvos em computadores locais. É possível editar, excluir, visualizar... sem possuir os arquivos propriamente na máquina.


Google Drive, One Drive e Dropbox



Felizmente existem muitas plataformas em nuvem hoje em dia com algumas diferenças e vantagens, mas todas elas podem ajudar muito quem escreve.

Como exemplo falarei basicamente do Google Drive, o serviço é bastante poderoso, mas as outras aplicações disponibilizam recursos semelhantes  e também de graça. De acordo com a sua preferência você pode optar pelo One DriveDropbox ou algum outro.



Editando textos diretamente no Google Drive


Eu costumo redigir os meus textos no editor de textos do Google Drive: o 'Docs', sendo assim, mesmo que o HD exploda, não perderei meus documentos. Basta acessar a minha conta do Google que eles estarão lá, exatamente como os deixei.

O editor é bastante completo e, a depender do caso, pode substituir editores clássicos, principalmente na fase de desenvolvimento da obra. É interessante testar a plataforma para verificar se ela te atende e entender a sua gama de funções  falarei sobre algumas a seguir.


Muitos usuários acessando o mesmo documento




A imagem acima mostra o poder dessa ferramenta. É possível que várias pessoas acessem o documento ao mesmo tempo, ou seja, você pode fazer textos em conjunto com outros autores.

É muito fácil disponibilizar o documento apenas para leitura, dando opção de compartilhar com alguém, que poderá visualizar o seu texto e te enviar um feedback – sem riscos de alterar o documento.

Outra possibilidade é utilizar o recurso para que alguém escreva o texto e outro revise, as opções são muitas.

Você pode dividir um trabalho em grupo entre os membros, que terão acesso ao mesmo documento com uma facilidade incrível. É possível inserção de comentários, compartilhamento de edições etc.


Mantenha uma pasta no seu computador com uma equivalente na nuvem




O Google Drive permite que você baixe um aplicativo para o seu computador que cria uma pastinha mágica. Essa pasta tem uma outra equivalente que fica na nuvem, então tudo o que você salvar, automaticamente terá uma cópia de segurança em um servidor do Google.

A Microsoft também tem o seu equivalente, a imagem mais acima mostra também o diretório do One Drive, antigo SkyDrive.

Por exemplo, se não quiser utilizar o editor de textos online do Google, pode utilizar o Word ou qualquer outro de sua preferência. Basta manter os documentos salvos no diretório que você criou, que a sincronização é automática. Isso quer dizer que sempre que adicionar um arquivo ou o alterar será feita uma cópia dele na nuvem, de modo que você possa o acessar além de no seu computador, em qualquer lugar.

Fazer backup é chato, além de que, depender de pendrives e HD's externos pode ser perigoso. Gravar em mídias como CD e DVD também é um processo trabalhoso. Nesse caso a sugestão acima ajuda e muito.


Cuidados necessários



Manter seus arquivos a salvo vai muito além do que utilizar um serviço de armazenamento em nuvem.
É necessário cultivar uma postura segura no mundo digital. Você precisa ter muito cuidado com as suas senhas: criar senhas seguras, tomar cuidado com os sites que acessa, downloads que faz e, ainda, com computadores públicos etc.

Nesse artigo tive a intenção de mostrar como a tecnologia em nuvem pode servir para escritores profissionais, amadores, estudantes... cuidarem melhor dos seus arquivos. Lembre-se, se sua conta for invadida, tudo isso será em vão!

Curta a página do blog Sábias Palavras e se mantenha informado. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão para o post, pode utilizar os comentários ou entre em contato aqui.

Calebe Ribeiro

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Você sabia que é possível ter acesso a um grande acervo da literatura mundial com um investimento baixíssimo?

Esse artigo vai te ajudar a ter sempre um livro disponível para ler. Preste atenção nas dicas, inclusive para não precisar mais ficar lendo PDF's no computador, cansando sua a vista e se irritando com ruídos.






Obras em domínio público

A literatura mundial possui uma infinidade de títulos para ler sem precisar pagar um tostão!

No Brasil, após 70 anos da morte do autor de uma obra, esta se torna domínio público. Quer exemplos?
Machado de Assis, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, José Alencar, Aluízio Azevedo. 

Cada país possui sua lei, no Canadá por exemplo os direitos autorais perduram por 50 anos após a morte do autor. Existem muitas obras de autores renomados como Shakespeare e Julio Verne, Emily Brontë que estão em domínio público.

Nesse link você vai ter acesso a um acervo gigante de obras, brasileiras e estrangeiras para baixar totalmente de graça.

Se você for numa livraria e comprar um livro físico, mesmo desses autores, irá pagar o valor que foi agregado na obra: diagramação, impressão, distribuição etc. No caso de arquivos digitais, como Epub e PDF, você não terá custo algum baixando na internet. 

Leitores Digitais

A melhor opção para ler os arquivos baixados é utilizar um e-reader como o Cobo, Kindle ou Lev. O preço desses equipamentos é relativamente baixo. Ainda que seja possível o uso de celulares, tablets, os leitores digitais são a melhor maneira indiscutivelmente valendo muito o pequeno investimento.

Ler no Computador ou Notebook não é nada confortável, já os e-readers contam com uma tecnologia de tela chamada E-Ink. São telas semelhantes a experiência do papel, com certas vantagens adicionais.

Eu comprei o Lev da Saraiva por R$199,00. Esse é o valor que você desembolsa para comprar alguns livros físicos.

Chamo atenção para o recurso do Lev, que organiza o PDF de forma que fique muito confortável de ler. Sendo assim, você pode baixar esse formato tranquilamente que poderá ler como se fosse um e-book.

Se você ainda tem dúvidas sobre os leitores digitais, acesse esses dois artigos que falam de uma infinidade de vantagens desses equipamentos:

Compre um e-reader e seja feliz

As 4 principais vantagens dos e-readers 



Onde baixar Livros Digitais?


Portal Domínio Público – Iniciativa do Ministério da Educação (MEC).

Universia – Milhares de títulos, tais como clássicos da literatura brasileira e estrangeira.

Project Gutenberg - Mais de 36 mil e-books grátis para muitos tipos de dispositivos: PC, Kindle, Android...

Open Library – É possível baixar mais de um milhão de livros em PDF.

Planet eBook – Clássicos (Inglês).

Feedbooks – É um site de venda de e-books, mas que disponibiliza livros gratuitos.


Espero ter ajudado aos amantes da leitura. As desculpas para não ler estão diminuindo hein?

Calebe Ribeiro

domingo, 5 de outubro de 2014

"A primeira regra do Clube da Luta é: você não fala sobre o Clube da Luta. 

A segunda regra do Clube da Luta é: você NÃO fala sobre o Clube da Luta. 

Terceira regra do Clube da Luta: ..."

O Tyler que me perdoe mas hoje eu vou falar do clube da luta!

Está procurando uma leitura emocionante e uma história capaz de entreter do inicio ao fim? O livro de Chuck Palahniuk é uma ótima pedida!

Provavelmente você lerá o livro em poucas sessões, a leitura é fácil, não contém muitos personagens, o que te dá muita liberdade para saborear as narrativas e diálogos que são riquíssimos.

Esse livro corre o risco de ser um dos mais legais que você vai ler! Tratando-se do filme, temos um grato prazer a parte, é tão bom quanto e capta a essência dos personagens do livro com maestria.

As questões mais importantes vão muito além de violência ou sangue. O autor faz duras críticas ao consumismo, ao apelo da propaganda, ao domínio que as marcas exercem sobre as nossas vidas. Põe um dedo na ferida do comodismo, sempre de uma forma muito inteligente.

No decorrer da trama, várias ideias e dicas do final vão sendo cuidadosamente distribuídas, mas numa medida genial.

O mais legal do livro é a narrativa em si: uma bagunça! Uma mistura de acontecimentos, pensamentos, ideias não lineares. Um fluxo muito doido, porém funcional demais; flui, funciona!

Nesse caso eu não consegui definir se preferia ter lido o livro antes de assistir o filme, mas tenha certeza que os dois são espetaculares.

Façam bom proveito! Vou deixar alguns pequenos trechos do livro, só continue o post se quiser ;]


“Você compra móveis. E pensa, este é o último sofá que eu vou comprar na vida. Compra o sofá, e por anos fica satisfeito porque, aconteça o que acontecer, ao menos tem o seu sofá. Depois preciso de um bom aparelho de jantar. Depois de uma cama perfeita. De cortinas. E tapetes. Então cai prisioneiro de seu adorável ninho, e as coisas que antes lhe pertenciam passam a possuir você.”

“No clube da luta você ouve barulhos e grunhidos como em qualquer academia, mas ninguém está preocupado em ficar bonito. Há gritos histéricos e línguas estranhas como nas igrejas, mas quando você acorda no domingo a tarde se sente salvo.”

“Reciclagem e limites de velocidade são uma bobagem... como alguém parar de fumar no leito de morte.”

Calebe Ribeiro

segunda-feira, 29 de setembro de 2014


Susan K. Perry, escreveu um artigo maravilhoso e não tive coragem de deixar passar. Existem muitos maus conselhos despejados por aí sobre a arte de escrever e aspirantes a escritores tem bebido dessa fonte amarga.

Tomem cuidado, pessoal! Liguem o botãozinho da crítica, joguem os conselhos no filtro cerebral!

Avaliem as suas individualidades fugindo das generalizações!

Peguei carona nos tópicos do artigo de Susan, mas a explicação é minha, mais voltada a escrita de livros, não que isso não vale também para redações, artigos, TCCs, etc.

Deixo aqui o blog onde encontrei o  post adaptado feito pelo Alexei Oliveira. Leiam os três tá combinado?


1 – Dicas que limitam o seu potencial


Um escritor renomado deu a seguinte declaração: "um romance abandonado é um romance perdido". Mentira!

O interesse em suas obras pode variar e é normal que ocorra. Você tem todo o direito de engavetar suas ideias e não terminá-las. Elas sempre poderão renascer em um momento mais oportuno, seja em um desfecho, em uma nova história, em um artigo, em uma redação ou em um conto. Nada é perdido, sua mente e criatividade estarão sempre adquirindo algo.

Sua motivação pode variar e você tem a liberdade de dar as pausas que desejar em sua empreitada. É melhor parar e esperar o momento certo, do que empurrar com a barriga e fazer um trabalho ruim da qual não se tem orgulho!


2 – Dicas que travam sua imaginação


“Se você quer fazer sucesso, TEM QUE escrever sobre casais com doença e colocar uma tragédia bacana na parada”.

As regras são suas, as histórias são suas, o livro é seu! Seja feliz fazendo as coisas que te dão vontade. Caminhos prontos existem, mas você pode escolher trilhar os seus próprios meios. Cuidado com esse tipo de dica que te fecha numa estratégia que pode servir pra alguém, mas se servirá pra você são outros quinhentos.


3 – Dicas para agendar sua criatividade


"“Escreva de madrugada”, “Escreva todos os dias”, “Escreva pelo menos 8 horas por dia”,
“Escreva nas manhãs de dias ensolarados”...

#Argh!

Desenvolva o seu organograma, seus hábitos, seu plano de pesquisa. Sua vida literária deve refletir o que você é! A sua criatividade é expandida quando você aprende a se conhecer a cada dia e trabalhar como aliado de si mesmo.


4 – Dicas que o fazem sentir-se inferiorizado


"Você não é bom o suficiente enquanto não for igual a tal escritor."

As comparações são inevitáveis às vezes, mas elas são uma das armas mais poderosas que esses assassinos em série tem à disposição. A dificuldade das pessoas estabelecerem parâmetros da maneira correta é muito comum.

Valorize o seu trabalho, crie seus modelos e objetivos, mas foque em si mesmo; na sua evolução como escritor e sua capacidade de trabalho!

Ponha em mente que cada escritor tem o SEU público, Tolkien pra mim é um gênio, para outros um escritor de histórias chatas, enfadonhas e desnecessariamente trabalhadas.

Vai continuar com esse seu complexo de inferioridade e desistir na primeira comparaçãozinha? Existem muitos leitores que vão te amar por você ser o que você é, e não apenas uma sombra de um outro qualquer.


5 – Dicas que transformariam seu trabalho em algo que você não quer fazer


Aqui, trata-se de pessoas que não querem se esforçar pra escrever, mas se você pede uma opinião a elas sobre o seu trabalho, elas te apunhalam. Querem escrever o livro delas através de você. Querem levar você a fazer o trabalho que elas gostariam de fazer. Sua criatividade vai pra baixo e você escreve coisas com a cabeça de outros.

Cuidado com as sugestões, o livro é seu!


6 – Dicas que te fazem acreditar que tudo o que você faz está errado

Seu time da vencendo? Está progredindo e produzindo um material bacana e que se orgulha? Seu método está funcionando já faz muito tempo?

Cuidado com um pseudo-entendido que aparece e diz com tamanha audácia que isso é inconcebível, proibido, ultrapassado e por aí vai. Se funciona pra você, seja feliz!


7 – Dicas sobre a “maneira certa” de escrever


Métodos, maneiras, rituais. Use-os apenas enquanto eles estão te servindo, se isso não está ocorrendo, mude! Não se apaixone pelo seu método que tem defeito, abandone suas ruas preferidas se elas estão muito esburacadas e te impedindo de chegar onde você gostaria.


8 – Dicas que são mais orientadas para o mercado do que você


Sinta o mercado, mas não se torne um escravo dele. Mesmo que você precise de estabelecer um público, entender o que ele quer, o que gosta, tenha em mente que para fazer um bom livro, você precisa ter afinidade com o que está escrevendo.

Não coloque o mercado acima do seu estilo de escrever, aprenda a sentir o mercado, pesquise o mercado, mas seja você. Você precisa se orgulhar do que está escrevendo e é importante que estabeleça uma conversa verdadeira com seu público, não fale com uma voz que não seja sua.


9 – Dicas impossíveis de seguir na prática

Dicas mirabolantes e impraticáveis, abra o olho!


10 – Dicas para te fazer enlouquecer


Vá para uma montanha e se prive do mundo! Sem sexo em períodos importantes de escrita e blá blá blá.

A vida é sua! Não se esqueça disso, cada louco tem a sua mania, tenha as suas, se quiser!


11 – Dicas sobre modelos padronizados e infalíveis 

Pessoal, não se atenham apenas a isso, modelos podem ser ótimos e podem fracassar. Aproveite as dicas, mas lembre-se que você não pode se acorrentar a elas. Nada é infalível, ninguém detém razão total sobre as coisas.

Tenho certeza que muitas das dicas oferecidas, são feitas com boas intenções e sem a tentativa de impor uma verdade que para si funciona muito bem. O importante é que precisamos colocar nós em primeiro plano e moldar as dicas de acordo com o nosso estilo, as nossas particularidades e os próprios gostos.

Valorize-se!


Calebe Ribeiro.


A procura de mais dicas? Que tal de Stephen King? Agora com os cuidados necessários pode ir aprender mais nesse link com várias dicas excelentes do mestre!

sábado, 27 de setembro de 2014

Outro dia li a respeito de alguns motivos para bater numa mulher, o texto usou um modo não apenas irônico de abordar o assunto, mas chegou a ser cômico. Vou discorrer sobre os motivos brevemente aqui e se você quiser conferir o post inteiro de autoria de Troy Dunn, deixo o link (sim, vá ler o artigo porque vale a pena!).

O post bem humorado diz que você tem todo direito de ser violento com uma mulher, caso ela esteja  em alguns perigos, tais como:
Fogo, 
Sob um iminente ataque de aranha, 
Engasgando ,
ou 
Quase sendo atropelada por um trem. 

O texto encoraja um homem a agir bruscamente, se necessário, para salvar sua amada, ou uma mulher frente a um perigo.

O mais importante o autor deixa para o final:

Péssimas razões pelas quais as mulheres se deixam agredir!

Sim, grande parte da violência recorrente contra uma mulher ocorre por culpa dela mesma! E isso não tem nada a ver com roupas ousadas, andar por locais perigosos ou coisa parecida. O fato é que existem falsas razões que constantemente mulheres usam para explicar a violência sofrida.

Entenda aqui culpa, como uma espécie de negligência, ou seja, assumir o risco.

Se uma mulher sofreu violência do seu parceiro, ela deve abandoná-lo! Muitas mulheres tem grande dificuldade de abandonar os companheiros justificando que a violência foi apenas uma vez e que estes se arrependeram.

Primeiras vezes, segundas vezes, terceiras vezes, tragédias e mortes. Muitas tragédias poderiam ser evitadas se mulheres tivessem o pulso firme no momento que deveriam ter!

Vou citar, também brevemente os motivos abordados no artigo. Deixo um recado às mulheres que se identificarem: façam um favor a si mesmas e valorizem suas vidas!

“Ele estava bêbado.”

“Ele está sob muito estresse.”

“Eu merecia isso!”

"Seu pai abusou de sua mãe. É a vida que ele conhece."

"Foi só uma vez. Ele pediu desculpas."

Não vou discorrer sobre a falha de cada desculpa descrita acima, pra mim é algo óbvio, mas se pra você não, leia o artigo de Troy Dunn. Espero que todas as mulheres do mundo enxerguem que, muitas vezes, a felicidade é uma questão de escolha.

Calebe Ribeiro

quinta-feira, 18 de setembro de 2014


“O dia que eu comprei um e-reader”. Fiquei na dúvida em colocar esse título no post no lugar de “Porque comprar um e-reader”. Mas acabei optando pelo que você deve ter lido.

Ocorre que hoje chegou meu leitor de livros digitais, aproveitei a promoção que a Saraiva fez do seu Lev (Saiu por 200 conto!) e interessado no recurso “PDF Reflow” que permite a reorganização da estrutura do texto de arquivos pdf, adquiri o produto sem pensar muito.

Não tenho intenção de fazer um review do equipamento, mas diga-se de passagem, eu recomendo a compra. Tenho intenção de explicar como um equipamento desses realmente é uma mão na roda no dia-a-dia. E ter mais propriedade por ser um possuidor do gadget.

Eu já fiz um post mencionando as características que fazem os e-readers serem ótimos aliados na leitura, com vantagens não encontradas nos livros comuns, clique aqui para mais informações.

Chega de enrolação, ao contrário do post “frio” que escrevi da outra vez, quando eu ainda não possuía um leitor digital hoje falo de várias vantagens que eu percebi na prática, incluindo a maravilha: levar quantos livros desejar para onde quiser sem carregar nenhum peso adicional!

Continue lendo e descubra mais boas vantagens, que eu constatei em poucas horas com o equipamento.


Muitos, muitos livros; Nenhum, nenhum peso

Hoje, fui a faculdade, e levei apenas algumas folhas e o leitor que tinha acabado de chegar em minha casa, gastei alguns minutos apenas para colocar alguns ebooks no equipamento joguei na mochila e fui.

Ao sair da primeira aula, tinha um intervalo de uma hora até a próxima aula, e eu estava ali muito bem servido de algo para tomar o tempo! Tinha na coleção, O Silmarilion, A trilogia O Senhor dos Anéis (J. R.R. Tolkien), Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis), O Cortiço (Aluísio Azevedo) etc... (Se quiser mais tem!)

As opções são muitas, então hoje ficou muito claro pra mim que na próxima viagem terei quantos livros quiser na minha bagagem sem peso adicional!
O Lev pesa: 190g (Mais leve que muito livro por aí)


Dicionário incluso!

Outra coisa muito útil é ter um dicionário nativo no equipamento. Aquela situação de ler uma palavra que você não conhece e deixar passar por não ter um dicionário por perto nunca mais vai ocorrer.

É só pressionar sobre a palavra e pronto, o significado será exibido. A leitura é muito mais confortável, sem que você precise ficar abrindo livros, dicionários, localizar palavras para continuar uma leitura.


Tamanho de fonte a gosto do freguês, digo, leitor!

Eu poucas vezes presto atenção no estilo ou tamanho da fonte de um livro, mas é óbvio que isso é importantíssimo para a qualidade da sua leitura. Muitas vezes a gente se cansa mais rapidamente de ler um livro por causa da fonte utilizada e nem se dá conta.

Hoje isso ficou claro pra mim, como é confortável você perceber que a fonte está muito pequena e com um movimento de dedos ajustar para o tamanho que você quer. (Tela multi toque, sua linda!)

Com um leitor digital você pode deixar as letras garrafais, se essa for a sua vontade.


Não precisa de caneta, marcador, bloco de notas e whatever


Enquanto eu lia e batia aquela vontade de marcar algum ponto, e escrever algum comentário, era apenas selecionar o texto e escrever a nota. Para notas curtinhas, essa função será perfeita.

Além do mais se você está lendo e quer guardar alguma frase, pode marcá-la que ela ficará destacada (semelhante uma caneta marca textos).

E se você pára a a leitura, muda de livro, faz alguma compra no equipamento, pode ficar tranquilo que ao voltar para o livro, ele estará no mesmo ponto que você parou.


Amigos, espero ter sido útil, se alguma dúvida ficar continuo a disposição. Segue alguns dados técnicos para finalizar o post.

Até a próxima.

Dados técnicos do LEV da Saraiva:

Tela 6” E ink (não cansa a visão)
Resolução HD de 758 x 1024 px (213 dpi)
Memória interna: 4 gb (aceita cartão microSD de até 32 gb)
Arquivos que suporta: ePub, PDF, HTML, TXT, FB2, JPEG, PNG, GIF, BMP, ICO, TIF, PSD


quarta-feira, 10 de setembro de 2014


Stephen King, que já foi comentado aqui no blog anteriormente continua nos inspirando, que tal uma série de suas melhores frases? Uma melhor que a outra!



||Caso ainda não conferiu os outros posts sobre o autor, corre lá:
Stephen King: 22 conselhos para escritores
4 grandes lições que Stephen King pode te ensinar sobre a vida ||



#1
"Só os inimigos dizem a verdade. Amigos e amantes, apanhados na teia da obrigação, mentem sem parar." Stephen King

#2
"Uma criança, cega de nascença, só sabe de sua cegueira se alguém lhe conta." Stephen King

#3
"A confiança do ingênuo é a arma mais útil do mentiroso." Stephen King

#4
"Não sabemos quanto tempo nos resta, não podemos desperdiçá-lo lamentando coisas que não podemos mudar." Stephen King

#5
"Aqueles que não aprendem com o passado estão condenados a repeti-lo". Stephen King

#6
"Você está certo! Mas pelos motivos errados! E isso faz com que você esteja totalmente errado!" Stephen King

#7
"Monstros são reais e fantasmas são reais também. Vivem dentro de nós e, às vezes, vencem". Stephen King

#8
"Se você se irrita com os críticos, você pode ter certeza de que quase sempre eles estão certos." Stephen King

#9
"Antes da vitória vem a tentação". Stephen King
#10
"Primeiro vem as risadas, depois as mentiras. Por ultimo o tiroteio." Stephen King

#11
"Talento é mais barato que sal. O que separa a pessoa talentosa da bem-sucedida é muito trabalho duro." Stephen King

#12
"A beleza da mania religiosa é que ela tem o poder de explicar tudo. Uma vez que Deus (ou Satã) são aceitos como a primeira causa de tudo que acontece no mundo mortal, nada é deixado à sorte... a lógica pode ser alegremente jogada pela janela." Stephen King

#13
"A criança nunca sabe o que é um martelo, até confundir o dedo com um prego." Stephen King

#14
"Crianças, ficção é a verdade dentro da mentira, e a verdade desta ficção é bastante simples: a magia existe." Stephen King

#15
"Tudo sempre parece mais claro quando olhamos para trás." Stephen King

#16
"Um homem que não pode ficar um pouco não deve nem se aproximar." Stephen King

#17
"Tempo, o grande ladrão da memória." Stephen King

#18
"O tempo cuida de tudo, o tempo carrega tudo e no fim tudo que existe é a escuridão. Às vezes encontramos outras pessoas nessa escuridão e às vezes as perdemos lá novamente. Isso é tudo que sei." Stephen King

Gosta de alguma outra frase que não consta na lista? Já sabe a sua preferida? Compartilhe!