segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Em uma entrevista concedida a revista Rolling Stone, Stephen King explica os motivos pelos quais não gosta da versão de Stanley Kubrick para o cinema de seu livro "O Iluminado".


"Ao longo dos anos, você sempre criticou o filme O Iluminado, de Stanley Kubrick. Fica surpreso com o culto construído ao redor do longa?

Eu não entendo. Mas há muitas coisas que não entendo. As pessoas obviamente adoram o filme, e não compreendem por que eu não gosto. O livro é quente, o filme é frio; o livro termina com fogo, e o filme, com gelo. No livro, existe um verdadeiro arco em que você vê este sujeito, Jack Torrance, tentando ser bom, mas que, pouco a pouco, vai se tornando maluco. E, quando assisti ao filme, Jack era louco desde a primeira cena. Tive que ficar com a boca fechada na época. Era uma exibição antecipada, e Jack Nicholson estava presente. Mas fiquei pensando comigo mesmo, no momento em que ele apareceu na tela: “Ah, eu conheço esse cara. Eu já o vi em cinco filmes de motoqueiro, em que Jack Nicholson fazia o mesmo papel”. E é tão misógino. Quero dizer, Wendy Torrance simplesmente é apresentada como uma dona de casa que não para de berrar. Mas essa é só a minha opinião, é só o jeito como eu sou."
por Andy Greene Revista Rolling Stone.

Não há alguém melhor que o próprio autor para lembrar-nos: assistir o Iluminado é se entreter com uma boa obra, mas muito distante dos sentimentos de seu livro. Existem dois Jacks diferentes no  livro e no filme. Podemos dizer que quem assiste o filme após ter lido o livro não tem a sensação de que eles são o mesmo personagem.

Não podemos dizer o mesmo de O Clube da Luta escrito por Chuck Palahniuk. A essência dos personagens é magistralmente bem captada e repassada pelo diretor David Fincher aos espectadores. A aura do livro e do filme tem uma ótima sintonia.

Deixamos aqui a sugestão de leitura de O Iluminado do gênio Stephen King. O trabalho impecável realizado nesse livro é digno de ser lido e relido. Arrisco dizer que até mesmo pessoas, que não se julgam fãs de horror, ainda irão se apaixonar por essa obra.

Calebe Ribeiro.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015



A infância é amiga dos sonhos e os sonhos são queridos das crianças. Os pequeninos olham para baixo e enxergam mais do que chão, erguem os olhos e vislumbram mais do que o céu.

Sem intenção, crianças tem o poder de nos cativar por infinitos motivos. Elas fazem com que enxerguemos nós mesmos e perguntemos: "O que aconteceu?".

Em que momento da vida deixei escapar a minha infância?
Em qual rua da vida ficou a criança que um dia fui? 
Quais eram mesmo os meus sonhos de pequenino?

Os infinitos de um menino podem ser muito maiores que os meus. Uma menininha indefesa pode ter pensamentos muito mais altos, universos com mais estrelas e mundos alternativos, que eu, adulto, não sou capaz de inventar.

Isso me faz lembrar uma pequena falante com energia que um dia também tive para "dar e vender". Correndo pela casa, brincando com o controle remoto da TV... A pequena é feita de sorrisos dos protagonistas e dos espectadores.

Sempre sorrisos, embora nem sempre contente - ou talvez sim. Pequena falante - de voz e de imaginação. Os pensamentos saltam de sua mente, exteriorizam pelo ar e alcançam lugares já esquecidos - não por ela, por mim.

Assim como ontem, ela se surpreende olhando para o céu e ali pode ver novamente: um avião que carrega tudo e todos. O avião também leva seu coração, sua alma, seus sonhos. Debruçada sobre qualquer coisa, ela está onde quer e sente saudade. A saudade muitas vezes é pura e simplesmente amor.

A rota é a mesma... e o avião? Para ela, sim.

Por instantes, a menina voa com ele e chama por alguém:

- Desça, minha amiga! Venha brincar brincar comigo!

Todos os aviões do mundo carregam sua amiga que mora distante. Essa amiga é "tudo".

As respostas que chegam da realidade para a menininha não são tão belas como as pequenas sementinhas que florescem em sua fértil mente. O avião rasga o céu até ela o perder de vista, o pássaro voador não pousa, a amiga não chega.

As respostas da realidade não importam tanto, amanhã o avião passará novamente e ela estará ali no mesmo lugar. Deixará seus brinquedos de lado, olhará o horizonte e esperará por aquele grande objeto que carrega suas vontades.

Os sonhos de criança podem se tornar gigantes mesmo morando em um coração tão pequeno.

A amizade também viaja no avião, todos eles são como um só: todos carregam sempre sua saudade e sua infância.

-Paraquedas!

Existem meios, ela sabe.

Calebe Ribeiro.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Imagem: freepik

De que forma você convidou o ano que despontou? As festividades dessa época às vezes elevam o nosso espírito as alturas e esse clima nos remete a um grito mais otimista que o teto da realidade:

“Apertem os cintos, ajeitem-se nas poltronas e aproveitem o voo pelo ano de 2015”.

Para sermos honestos - sem deixar o otimismo de lado - precisamos convidar o Ano Novo de uma maneira diferente. A forma que convidamos o ano é crucial para que seja bom de verdade.

Vamos arriscar um brado diferente:

“Afie a sua espada, vista a sua armadura e continue lutando.”

Eu desejo a todos nós fé, força e coragem. Nesse barco, a maioria de nós não estará apenas aproveitando a vista e chegando a grandes destinos. Estaremos na verdade remando, remando e remando.

Lutaremos contra as ondas, contra nossas próprias fraquezas, mas não deixaremos de aproveitar também a vista, e muito menos deixaremos de alçar objetivos e vencer batalhas.

Uma boa luta a todos nós!

Calebe Ribeiro.


quarta-feira, 3 de dezembro de 2014


Você provavelmente já conhece Augustus Waters, o personagem de John Green popularizado com o sucesso do livro, e posteriormente filme, "A Culpa é das Estrelas". Mas você conhece Terry Fox? Vamos falar um pouco sobre um ser humano super especial, que compartilha de semelhanças com Gus.

Augustus é um jovem bem humorado que gosta de vídeo games, livros e música. Quando mais novo, jogava basquete, até ser diagnosticado com câncer e precisar amputar a perna, passando a usar uma prótese.
O esquecimento é o seu maior medo, e seu desejo é ser lembrado não como mais uma vítima da guerra contra o câncer.

Algumas das características de Augustus se aproximam muito de Terry Fox. E isso até nos leva a desconfiar que serviram de inspiração para John Green construir seu personagem.

Terry nasceu em julho de 1958, no Canadá. Desde muito jovem sempre foi ativo, um grande amante do mundo dos esportes. Seus caminhos eram de sucesso, mas infelizmente ele recebeu um diagnóstico: osteossarcoma na perna direita. Terry tinha apenas 18 anos.

Osteossarcoma é mesmo câncer que acometeu Augustus Waters e o fez perder a perna, no romance de John Green.

Maratona da Esperança

Comovido com o sofrimento dos jovens com o mesmo câncer, Terry decidiu fazer um movimento para angariar fundos para lutar contra a doença: atravessar a pé o Canadá. Essa empreitada foi denominada de “Maratona da Esperança” e ocorreu em 1980, com a intenção de alertar sobre a necessidade de encontrar cura para a doença.

Terry Fox percorreu 5.000 km, mas infelizmente teve que interromper a corrida no meio do caminho. Seu câncer progrediu, atingindo também os pulmões, o impossibilitando de continuar seu percurso. A Maratona da Esperança arrecadou 360 milhões de dólares canadenses para pesquisas sobre o tratamento do câncer.

Herói Nacional

Falecido em 1981, Terry foi proclamado como um herói nacional; além de ter sido escolhido, através de uma pesquisa, como o canadense mais famoso do século XX e o segundo na lista dos Maiores Canadenses de Sempre. Após o grande exemplo do jovem, a “Maratona da Esperança” ficou conhecida como “Corrida Terry Fox”, em sua homenagem. Atualmente, apenas no Canadá, são organizadas mais de 4 mil corridas, além de em vários países do mundo.

Fundação Terry Fox

A Fundação Terry Fox foi criada em seu nome e segue promovendo diversas iniciativas para angariação de fundos, entre elas, as maratonas. Cientistas são financiados por meio de bolsas, para garantir o desenvolvimento de estudos sobre o transplante de medula óssea e cânceres.

Empreendedor de esperança

Terry empreendeu algo grandioso mesmo doente. E, apesar de ter morrido muito jovem, legou-nos o seu sonho, que concretiza-se dedicando o total angariado da fundação exclusivamente à investigação científica em oncologia.

Na trama de John Green, Augustus manifestava a sua vontade de deixar sua marca no mundo e assim foi exatamente com Terry Fox. Exemplos como o dele nos levam a perguntar: “Qual o legado que deixaremos para o mundo?”- Nem que a definição de mundo seja apenas algumas pessoas que te rodeiam ou os filhos que você um dia terá.

Terry Fox nunca desistiu e mesmo após a morte foi vitorioso, afinal, a morte não é sinônimo de derrota - não pra quem tem o coração generoso o suficiente.


Texto de Calebe Ribeiro e Joice Rocha

sábado, 29 de novembro de 2014


Se não houvesse aquele seriado simplório, como teria sido nossa infância?

Nossos dias na escola seriam os mesmos sem o Chaves? Será que a nossa vida seria tão divertida? Repetiríamos outros bordões? Teríamos a mesma capacidade de rir e rir novamente da mesma piada?

E se os nossos super heróis fossem todos quase deuses, ao invés de um magricela atrapalhado que as únicas qualidades eram seus valores humanos? Mesmo sem poderes extraordinários, o Chapolin Colorado foi capaz de nos defender, sobretudo, de uma vida sem sorrisos.

A partir de agora, nossos dias seguirão sem Roberto Gómez Bolaños, sorrir se tornara um pouco mais difícil. Gerações lamentam a perda de um gênio que sempre fará parte de nós e permanecerá em um lugar especial. Guardaremos esse homem, como guardamos um grande amigo e o deixaremos próximo de todas as melhores lembranças que possuímos.

Junto ao paraíso de lembranças da infância, nosso querido Chavinho, te guardaremos para sempre!

Calebe Ribeiro

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Preguiçoso

Muito prazer, meu nome é Calebe Ribeiro e sou assumidamente muito preguiçoso para estudar. Em toda a minha vida nunca fui de estudar, e isso poucas vezes me fez falta, até que eu entrei na faculdade. A exigência enorme da UNIFEI me fez tomar muitas rasteiras de mim mesmo. Nesse artigo vou tentar falar de diversas práticas que me ajudaram e estão me ajudando a ser um estudante melhor.

Se, como eu, você joga no time dos que tem muita preguiça de estudar, esse post foi feito para você. Estudar é uma arte e muitas pessoas tem grande dificuldade em a pôr em prática. Talvez você tenha muito ânimo para trabalhar, fazer exercícios físicos, sair, ler... porém,  muito problema para conseguir parar e estudar.

Estudar envolve bons hábitos que devem ser criados desde criança, e eu infelizmente, desde pequeno nunca tive paciência para tal. E os momentos em que eu tive mais dificuldade para estudar foram, como disse, na faculdade; quando não se tem pra onde correr: estuda ou estuda. Você está nessa situação?

Então continue lendo o artigo para encontrar dicas valiosas que poderão te ajudar muito a estudar -  mesmo sendo uma pessoa preguiçosa ou com dificuldades para fazê-lo.


1- Não espere ter vontade de estudar, provavelmente isso nunca acontecerá



Se está esperando o momento de sentir vontade de estudar ou uma maneira de tornar a atividade “estudar” prazerosa, pode ser que permaneça eternamente assim. As atividades de estudo podem se tornar menos cansativas e melhor aproveitadas, porém os grandes benefícios de estudar se encontram nos seus frutos. Devemos encontrar motivação não no processo de estudar em si, mas sim nos resultados que isso nos trará no futuro.

O prazer dos estudos não está em si mesmo, mas nos seus objetivos.

Se caso perceber-se com preguiça de estudar, entenda que aguardar essa sensação passar, não resolverá o problema. O prazer de estudar não encontra em si mesmo, mas nas conquistas que ele te trará:
conhecimento, sabedoria, maior bagagem e repertóriocultura, capacitação profissional e tantos outros.

Se motive sempre pelo objetivo do estudo, que pode ser: adquirir algum conforto na vida, dominar um outro idioma, ter mais cultura... Estude para conquistar e essa futura conquista será o seu grande prazer. Encontre seus próprios motivos e estude para chegar até eles.


2- Durma e alimente-se direito



Preguiça, falta de vontade, improdutividade... Tente observar se o motivo de uma preguiça exagerada não está no fato do seu corpo estar cansado demais. Observe se a raiz do mal é a falta da quantidade correta de horas de sono. Tente manter um padrão, dormindo e acordando sempre nos mesmos horários. É importante que você tenha uma rotina e que isso lhe ajude a organizar suas atividades.

Às vezes a preguiça aparece devido a uma grande bagunça com os horários do seu dia. Acordamos cada dia em um horário, nos alimentamos em horários diferentes e acabamos não sabendo administrar a vida dos estudos.


Perceba que a preguiça tem muitas causas e que se você souber como controlá-las, poderá conseguir vencê-la em grande parte.

3- Exercite-se regularmente



Se você além de ter preguiça de estudar, também tem de se exercitar, se atente a essa dica. Nossa mente precisa de distrações e criar uma rotina de exercícios físicos é algo muito interessante para nós que fazemos parte do time dos preguiçosos.

Não dependa de companhia, de uma academia ou nada do tipo. Se possível faça alguma atividade ao ar livre, como caminhada, corrida ou andar de bicicleta. Isso terá o poder de reduzir o seu stress, te dará mais energia para enfrentar os estudos, além de ajudar a ter um sono mais tranquilo. Se você está querendo deixar a preguiça de lado e ser um estudante melhor, não se esqueça dos exercícios físicos!


4- Limpe e organize seu local de estudo



Esse é um ponto chave, e no fundo a maioria de nós está cansada de saber. Mas o ambiente que você estuda, a começar pela sua mesa, ditará se você vai conseguir estudar e aproveitar bem o tempo que destinou a isso ou não. Quando você olha aquela sua mesa cheia de papéis, apostilas, copos sujos, aparelhos eletrônicos etc, sua mente começa a lidar com muita informação e tem dificuldade em manter a concentração. Às vezes você deseja se livrar daquilo e, muitas vezes, ao invés de arrumar a bagunça, decide abandonar o local e partir para outra atividade.

Mostre-me sua mesa e eu direi se você estudará!

É primordial organizar o local de estudos, seja seu quarto ou escritório.

De preferência, deixe na sua mesa apenas o necessário para o estudo daquele tema. Isso vai desde apostilas de outras matérias, anotações de outras disciplinas, até manter uma calculadora na mesa no momento que você está estudando para matérias que não envolvem cálculos.

Não é necessário comentar sobre o local de estudos ser silencioso ou que ele seja bem iluminado, cada um com certeza escolhe em casa o melhor lugar disponível, afinal nem todo mundo tem uma estação de estudos perfeita - e isso nos leva para o próximo tópico.


5- Tenha um ambiente de estudos B, C ou D, se possível



É importante ter alguns locais definidos para as suas atividades de estudo. Estude no seu
quarto, se bater alguma forma de preguiça ou falta de vontade, rapidamente desloque para a cozinha, por exemplo. Isso às vezes é importante, porque podemos achar muito tedioso permanecer muito tempo no mesmo ambiente. Se você tem disponível uma biblioteca da escola, biblioteca municipal ou da faculdade, avalie bem a possibilidade de estudar nesses locais.

A biblioteca é uma ótima saída, em diversas situações onde você está com problemas para estudar em casa. Estudar no conforto do seu lar pode te fazer passar por alguns problemas, que explicarei o motivo.
Um belo dia, você acorda super disposto, arruma seu material de estudos, se acomoda na cadeira e começa a estudar. Tudo vai muito bem até a sua mãe começar a te chamar o tempo todo para ajudá-la a fazer algo, o telefone que não para de tocar, aquela sua tia que tem três filhos pequenos chega e você percebe que aquele dia você poderá fazer diversas coisas exceto estudar.

Tenha em mente que estudar em casa tem suas vantagens, mas pode se tornar impossível em algumas situações. Se atenha a isso: se hoje seu local de estudos está muito barulhento, o cachorro do vizinho não para de latir, tem um bebê chorando em casa, uma construção próxima não para de marretar as paredes, se mova e siga para a biblioteca o mais rápido possível.


6- Música pode ajudar



Música pode ser uma aliada forte em diversas situações. Músicas clássicas e calmas como as tocadas em piano podem te ajudar a criar um ambiente de concentração, além de não evidenciar alguns barulhos inconvenientes, como os do exemplo acima. Você também pode utilizar uma música mais agitada para criar um ambiente mais motivador algum tempo antes de iniciar os estudos.

Eu, particularmente, só consigo estudar com música calma, outros tipos de música podem te fazer perder o foco.

Clique aqui para uma sugestão de playlist que já ajudou muito a me concentrar.


7- Escreva as suas atividades



Defina bem as datas das provas, a importância de cada matéria, as prioridades de estudo, defina quais matérias você precisa se dedicar mais. É importante que você tenha sempre à mão um “mapa de atividades” para te nortear sempre e você não se perder.

Organização é bom, mas evite detalhar demais tudo e, por fim, acabar não utilizando isso na prática. Defina bem os pontos importantes e parta para a prática.


8- Chegue mais próximo da felicidade a cada dia



Nós preguiçosos costumamos deixar as coisas sempre pra depois, mas sabemos que isso nunca deu certo. Então, vamos brigar com nós mesmos e tentar enfrentar cada vez mais a preguiça e a procrastinação.

Tenhamos em mente sempre que quanto melhor estudarmos, mais próximos estaremos dos nossos objetivos. E realizar os nossos sonhos é um jeito muito legal de chegar mais próximo daquela coisa chamada felicidade.

Espero que todas essas dicas, que tem me ajudado a cada dia, ajudem a você também.
Calebe Ribeiro.

sábado, 18 de outubro de 2014


Um dos maiores pesadelos que um universitário, mestrando, doutorando ou escritor pode enfrentar é perder sua obra que estava "muito bem guardada" no seu computador. Alguns problemas nem mesmo alguém com conhecimento e muito motivado consegue solucionar.

É fato que cada vez mais necessitamos de conhecimento em informática e seus mecanismos de segurança. Um deslize bobo como plugar o seu pendrive em um local público  para fazer uma impressão na xerox da faculdade, por exemplo  pode trazer uma praga consigo e detonar o seu pendrive e/ou computador.

Perder o seu trabalho pode ser equivalente a perder um membro da família e infelizmente esse tipo de coisa não é tão rara assim. Pensando nisso resolvi dar uma sugestão para quem deseja manter seus arquivos sempre a salvo e sem complicações.

Computação em Nuvem


Use e abuse dos recursos de armazenamento de arquivos em nuvem, cada vez mais comuns na internet. Continue lendo o artigo para perceber como a tecnologia é uma grande aliada na segurança de sua obra em desenvolvimento.

De maneira simples o termo Computação em Nuvem, ou Cloud Computing, quer dizer que dados diversos como texto, imagens e vídeos, são mantidos em servidores, a partir dos quais podemos os acessar pela internet. Os arquivos não mais precisam ser salvos em computadores locais. É possível editar, excluir, visualizar... sem possuir os arquivos propriamente na máquina.


Google Drive, One Drive e Dropbox



Felizmente existem muitas plataformas em nuvem hoje em dia com algumas diferenças e vantagens, mas todas elas podem ajudar muito quem escreve.

Como exemplo falarei basicamente do Google Drive, o serviço é bastante poderoso, mas as outras aplicações disponibilizam recursos semelhantes  e também de graça. De acordo com a sua preferência você pode optar pelo One DriveDropbox ou algum outro.



Editando textos diretamente no Google Drive


Eu costumo redigir os meus textos no editor de textos do Google Drive: o 'Docs', sendo assim, mesmo que o HD exploda, não perderei meus documentos. Basta acessar a minha conta do Google que eles estarão lá, exatamente como os deixei.

O editor é bastante completo e, a depender do caso, pode substituir editores clássicos, principalmente na fase de desenvolvimento da obra. É interessante testar a plataforma para verificar se ela te atende e entender a sua gama de funções  falarei sobre algumas a seguir.


Muitos usuários acessando o mesmo documento




A imagem acima mostra o poder dessa ferramenta. É possível que várias pessoas acessem o documento ao mesmo tempo, ou seja, você pode fazer textos em conjunto com outros autores.

É muito fácil disponibilizar o documento apenas para leitura, dando opção de compartilhar com alguém, que poderá visualizar o seu texto e te enviar um feedback – sem riscos de alterar o documento.

Outra possibilidade é utilizar o recurso para que alguém escreva o texto e outro revise, as opções são muitas.

Você pode dividir um trabalho em grupo entre os membros, que terão acesso ao mesmo documento com uma facilidade incrível. É possível inserção de comentários, compartilhamento de edições etc.


Mantenha uma pasta no seu computador com uma equivalente na nuvem




O Google Drive permite que você baixe um aplicativo para o seu computador que cria uma pastinha mágica. Essa pasta tem uma outra equivalente que fica na nuvem, então tudo o que você salvar, automaticamente terá uma cópia de segurança em um servidor do Google.

A Microsoft também tem o seu equivalente, a imagem mais acima mostra também o diretório do One Drive, antigo SkyDrive.

Por exemplo, se não quiser utilizar o editor de textos online do Google, pode utilizar o Word ou qualquer outro de sua preferência. Basta manter os documentos salvos no diretório que você criou, que a sincronização é automática. Isso quer dizer que sempre que adicionar um arquivo ou o alterar será feita uma cópia dele na nuvem, de modo que você possa o acessar além de no seu computador, em qualquer lugar.

Fazer backup é chato, além de que, depender de pendrives e HD's externos pode ser perigoso. Gravar em mídias como CD e DVD também é um processo trabalhoso. Nesse caso a sugestão acima ajuda e muito.


Cuidados necessários



Manter seus arquivos a salvo vai muito além do que utilizar um serviço de armazenamento em nuvem.
É necessário cultivar uma postura segura no mundo digital. Você precisa ter muito cuidado com as suas senhas: criar senhas seguras, tomar cuidado com os sites que acessa, downloads que faz e, ainda, com computadores públicos etc.

Nesse artigo tive a intenção de mostrar como a tecnologia em nuvem pode servir para escritores profissionais, amadores, estudantes... cuidarem melhor dos seus arquivos. Lembre-se, se sua conta for invadida, tudo isso será em vão!

Curta a página do blog Sábias Palavras e se mantenha informado. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão para o post, pode utilizar os comentários ou entre em contato aqui.

Calebe Ribeiro